domingo, 21 de novembro de 2010

Fantasmas!

Fantasmas voam
Entram e saem,
Gritam, adormecem
e acordam.
Me dão bom dia,
As vezes me esquecem.
Distraem-se, ou apenas
riam da minha cara de idiota!
Sentado em bolhas no ar
Ao sabor do vento
Soprado por ti!

Mão unica?
Voo solo?
Não sei, não espero
Não penso, não planejo
Apenas sigo
Pra algum lugar.
Talvez eu sei aonde
Mas não sei como chegar!
Talvez fantasmas
Apontem o caminho
E tornem a rir
Das tormentas
Criadas por mim mesmo!

2 comentários:

Thiago disse...

Essa ansia de querer as coisas do mundo, é uma lamina afiada, que corta sem piedade. E nao vale a pena, evitar por medo de se cortar. Há que sangrar um pouco na vida, pra saber que se esta de fato vivo.
Admiro quem se permite isso, e apesar de tudo vc é sempre muito mais otimista que eu. E esse teu otimismo dilui com facilidade essas agonias. Veja como é engraçado, eu q sou o "irmão mais velho", e vc que me ensina. hehehe.

Gabriel Francisco disse...

É importante mesmo as vezes sangrar pra sentir. Seu comentário me lembrou a musica Hurt do Cash! Sobre otimismo, tem que cuidar pra que ele não mascare os problemas, e faça com que empurramos com a barriga oque precisa ser feito.