quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Voracidade

A tua voracidade
me puxando pelo braço,
pelo cabelo, pelo pescoço...
Deixando marcas
Saudades, imagens, vontades.

Arranque as cordas,
Libertamo-nos
Entramos em nossa casa
Janelas fechadas
Ou abertas
Pois do mundo,
nada há a esconder.

Esteve um tempo longe,
mas logo voltou.
Agora faça de mim o teu quintal
a tua casa, o teu ninho.

Vem comigo!
Façamos do nosso caminho
o nosso fim.
Fim que nunca alcançaremos,
mas nunca deixaremos de procurar.
Pois os meios satisfazem mais.

E que a voracidade,
faça parte do caminho
Como um combustível.
Que acelera as intenções,
e faz com que manipulamos
o mundo com a ponta
de nossos dedos.


Escrito numa semana onde uma onda de conforto invadiu minha vida esclarecendo alguns medos e inseguranças que nao saiam da minha cabeça.






3 comentários:

Thiago disse...

Velho, mto bom esse.

Curioso até ter falado lá sobre situações sem um ponto final, e aqui sobre "os meios satisfazem mais".
E eu concordo, por isso acho que não há nada de errado em histórias sem ponto final. Porque pouco importa onde começa e onde termina, o que faz diferença é realmente o meio, ou os varios meios.

Mas a escrita tá numa evolução mto positiva por aí, continue cara, tá num ritmo mto bacana. E da pra sacar mto disso q fica nas entrelinhas. Mto bom mesmo...

Ray disse...

realmente as coisas sao incertas e os meios nem sempre justificam, mas geralmente satisfazem mais a alma..
...

na minha opinião, um dos melhores dos ultimos tempos!

rafaela; disse...

Já penso que tudo terá um fim, mas que bom que alguns meios sempre valem a pena... E a voracidade, já dizia lobão "dez anos a mil, do que mil anos a dez".