domingo, 9 de janeiro de 2011

Questão de Tempo

Eu queria um minuto
um olhar
um beijo
uma conversa.

Num estalar de dedos
queria você aqui.
Sentir teu calor
tua pele

É salgado 
o gosto da distância
da saudade.

Hoje precisaria ir além
dos pensamentos
e sonhos.
Precisaria sentir
como uma lâmina
tua presença 
ao meu lado.

Mas sei que logo ali,
depois da curva
vou te encontrar.
Pra sanar de vez
minhas loucuras.
É uma questão de tempo.


Há dias que as horas não passam, se arrastam e angustiam. Mas nesses dias
eu percebo que estou alcançando uma das capacidades que considero mais
importante pra que eu alcance a felicidade: respeitar o tempo. É difícil, 
mas pra que a lucidez seja mantida é imprescindível respeita-lo, pois 
muitas vezes o caminho já esta traçado e sendo seguido, basta esperar.
Esperar a semana que vem, o dia que vem, a hora que vem...

Um comentário:

Thiago disse...

É cara, a paciencia é uma dadiva pra poucos. Duro mesmo é quando a gente é obrigado a esperar, porque não há outro jeito. Ou quando a espera é só uma desculpa pra tudo que a gente sabe q não virá. Mas de fato, sentir saudades é uma das coisas mais paradoxais da vida, porque não adianta dizer q é bom, pq não é. Mas ao mesmo tempo, não é ruim. Talves o que seja bom, é saber que um dia ela termina. Em quase todos os casos.